“Precisamos achatar a curva da epidemia”, defende deputado Marcel nas redes sociais

Deputado Marcel acompanha a sessão da Câmara de casa, em isolamento!
18 de março de 2020
Coronavírus: brasileiros em estado de alerta
21 de março de 2020

O Brasil segue em estado de alerta máximo devido à pandemia do COVID-19, um novo tipo de coronavírus que atingiu todo o planeta e tem ceifado vidas na maioria dos países que já registraram casos de contaminação. O deputado federal Marcel van hattem (NOVO-RS) foi às redes sociais conscientizar a população do grave momento por que passa o Brasil e o mundo. “A epidemia do novo coronavírus pode levar o sistema público e privado de saúde do Brasil ao colapso se a crise não for tratada com seriedade. Toda epidemia apresenta uma curva de crescimento e, a depender de sua velocidade, os serviços de saúde podem simplesmente não dar mais vazão a tantos casos ao mesmo tempo”, disse.

Como ilustração, o parlamentar trouxe um gráfico para ilustrar a necessidade de medidas de controle e distanciamento social. “Observe a figura. Sem medidas de controle (distanciamento social, isolamento, etc), os casos de COVID-19 podem crescer rapidamente e muito acima da capacidade do sistema de saúde do país. Isso levaria ao colapso e é justamente o que precisamos evitar. Não há como parar a epidemia nesse momento, mas é viável diminuir a velocidade de contágio da população”, explicou.

Foto: Reprodução/Instagram

O deputado prosseguiu: “na curva amarela do gráfico podemos ver que, com medidas de controle, a curva de crescimento é achatada, o que significa que o contágio continuará, mas em velocidade e número muito menor de infectados. Nosso sistema de saúde seria, assim, capaz de atender adequadamente todos os infectados, reduzindo o risco de mortes pelo vírus”.

Marcel também informou rapidamente sobre a tática que outros países ao redor do globo têm adotado para tentar frear a pandemia. “Alguns países como Inglaterra e Holanda têm tentado uma terceira estratégia que seria intermediária, mas que ainda não temos resultados para avaliar. Por lá o isolamento é parcial, focado em grupos populacionais de risco e nos casos suspeitos ou confirmados de COVID-19”, comentou.

Por fim, o parlamentar gaúcho foi taxativo: “o trabalho das autoridades em diferentes níveis está concentrado no estabelecimento de medidas que reduzam o contágio para que o sistema de saúde possa tratar adequadamente aqueles que contraírem a doença”, concluiu.

Os comentários estão encerrados.