Em discurso, deputado Marcel destaca: “Precisamos exercer com dignidade a presidência da Casa para devolver ao povo brasileiro o sentimento de ser bem representado por este Parlamento”

Marcel via Facebook – 18/02/2021
18 de fevereiro de 2021
CONTRA o AI-5 do STF: ataques à democracia e ao Estado de Direito
19 de fevereiro de 2021

No dia 1º de fevereiro de 2021 o deputado federal Marcel van Hattem (NOVO-RS) foi à tribuna do Plenário da Câmara dos Deputados para discursar. Estava em pleito a presidência da Casa Legislativa. No discurso, o candidato do Novo enfatizou a importância da votação que definiria o futuro da nação, além de novamente se solidarizar com as vítimas do coronavírus e de outras doenças “que infelizmente não foram tratadas em virtude do fique em casa”, citando, também, todo o caos social e econômico do país no período da pandemia.

“Votar no presidente do Poder Legislativo, votar no representante maior dos parlamentares que representam o povo brasileiro. É por isso que estamos aqui. O Brasil merece mais, muito mais. Muito mais do que o mais do mesmo. Mais do mesmo porque com todo respeito aos partidos políticos que estão representados nessas candidaturas, são filiados a partidos que são base deste governo ou de qualquer outro governo até aqui. São mais do mesmo porque representam o establishment, que lá atrás nas eleições de 2018 por maioria dos votos foi severamente questionado pela população brasileira que clamou por mudança. Mais do mesmo, inclusive porque hoje defendem reformas, combate à corrupção não se ouviu muito, privatizações… mas quando votaram aqui no Plenário, lembro bem do Blackout na discussão da Reforma da Previdência. Vossas excelências também [lembram]”, disse Marcel.

Marcel van Hattem (NOVO-RS) discursa no Plenário no dia da votação para a presidência da Câmara dos Deputados. Foto: Dida Sampaio

Marcel, o penúltimo parlamentar a se pronunciar, apontou incoerências nos discursos dos demais candidatos. “Havia negociações em curso com o Planalto, que impediram que a tramitação continuasse. Eu lembro bem dos votos desses candidatos na Lei de Abuso de Autoridade. Lembro bem dos votos do juiz de garantias. E agora prometem outras coisas. Nós precisamos olhar para a trajetória de quem concorre, e não apenas para os discursos que são pronunciados ou para os acordos que são feitos. E por esse motivo me orgulho muito de integrar uma bancada como a do Novo que tem sido coerente. E muitas vezes discordamos aqui com colegas deputados, mas sempre de uma forma respeitosa, sempre apresentando nossos argumentos, e buscando mais votos de colegas parlamentares. É essa mesma coerência, mesma independência que quero como presidente desta Casa exercer sentado na mesa diretora. Quero também ser um presidente justo com todos os parlamentares” disse.

Marcel também apontou para atuais e antigas alianças das duas principais candidaturas, de Arthur Lira e de Baleia Rossi: “As duas candidaturas principais são mais do mesmo, vejam bem, inclusive nas suas contradições: um candidato que é hoje apoiado por Bolsonaro e que apoiou faz pouco tempo Dilma e Lula nos governos do PT. Outro candidato do MDB, apoiado pela esquerda, que é afiliado de Michel Temer. Até mesmo nas suas contradições se parecem muito. Repito: com todo o respeito com aqueles que estão pleiteando, até porque eu, como presidente da Casa, também os representarei”, enfatizou.

Em discurso, deputado Marcel destaca: “Precisamos exercer com dignidade a presidência da Casa para devolver ao povo brasileiro o sentimento de ser bem representado por este Parlamento. Foto: Dida Sampaio

“Quero por isso lembrar que precisamos exercer com dignidade a presidência desta Casa para devolver ao povo brasileiro o sentimento de ser bem representado por este Parlamento. Nós precisamos admitir: como Câmara dos Deputados, nossa credibilidade está lá embaixo. Não sou eu quem está dizendo, os institutos de pesquisa dizem, as ruas dizem, a sociedade diz. Precisamos mudar essa realidade. E para mudar essa realidade, é preciso fazer diferente do que era feito no passado”, seguiu Marcel.

O deputado do Novo também fez críticas ao atual presidente Jair Bolsonaro: “Sabemos que o Executivo sempre interferiu nos trabalhos desta Casa. E, em especial, por ocasião das eleições. Por mais que eu concorde com essa frase, ela não é de minha autoria, é do atual presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, que há apenas quatro anos concorria à presidência desta Câmara, e dizia que temos uma Câmara que não cria leis, que não fiscaliza e que não representa os anseios do povo. O atual presidente Bolsonaro disse há quatro anos nesta mesma tribuna, presidente em quem votei no segundo turno, ‘o Poder Legislativo se apresenta subserviente ao poder Executivo e submisso ao Judiciário’. Hoje, que vergonha o que eu vejo acontecer nessas eleições. O mesmo que o presidente criticava lá atrás, está acontecendo hoje”, disse Marcel.

Marcel apontou incoerências nas duas principais candidaturas à presidência da Câmara dos Deputados e fez críticas ao presidente Jair Bolsonaro. Foto: Dida Sampaio

O candidato do Novo leu na tribuna uma manchete do jornal O Estado de São Paulo que aborda os mais de 3 bilhões de reais liberados em obras a quase 300 parlamentares em meio a eleições no Congresso. “Nós alertamos pra isso no ano passado em dezembro. A Bancada do Novo orientou contra os PLN que criavam os créditos extraordinários. E aqui estamos mais uma vez nos pronunciando contra essas velhas práticas que infelizmente mostram que o discurso do presidente Bolsonaro, que há menos de um ano afirmava que ‘acabou a época da patifaria e que nós não queremos negociar nada, queremos ação pelo Brasil, o que tinha de velho ficou pra trás e nós temos um novo Brasil pela frente’, ficou velho” ressaltou Marcel lembrando que o atual presidente da República utilizou-se dos mesmos artifícios que o PT utilizava para montar sua base.

Marcel van Hattem fez 13 votos na eleição. O candidato apoiado pelo governo, Arthur Lira (PP-AL), foi eleito à presidência da Câmara dos Deputados para os exercícios de 2021 e 2022 com 302 votos. Baleia Rossi (MDB-SP) fez 145 votos, Fábio Ramalho (MDB-MG) fez 21 votos, Luiza Erundina (PSOL-SP) 16, André Janones (Avanta-MG) 3, Kim Kataguiri (DEM-SP) fez 2 votos e General Peternelli (PSL-SP) fez 1 voto.

Os comentários estão encerrados.