Deputado Marcel participa da inauguração Centro Integrado de Operações de Fronteira ao lado do ministro Sergio Moro

Fiscalização do TCU em pedágios da Região Sul do RS é tema de audiência entre o deputado Marcel e o ministro Carreiro
13 de dezembro de 2019
“Roubaram o Brasil e ainda querem dar lição de moral”, rebate Marcel à fala de deputada petista
17 de dezembro de 2019

O Ministério da Justiça e Segurança Pública inaugurou hoje (16/12), em Foz do Iguaçu (PR), o Centro Integrado de Operações de Fronteira (Ciof). Construído com o apoio da empresa binacional Itaipu e do governo do Paraná, o centro é apontado pelo ministério como “estratégico” no enfrentamento ao crime organizado, principalmente na luta contra os ilícitos transfronteiriços, como o tráfico de drogas e armas, o financiamento ao terrorismo e a lavagem de dinheiro. O deputado federal Marcel van Hattem, líder do Partido NOVO na Câmara dos Deputados, esteve presente ao evento de inauguração.

Além de fortalecer a vigilância em uma das principais áreas de importação e exportação do país, na fronteira com o Paraguai e a Argentina, o Ciof vai coordenar os esforços de investigação e combate ao crime organizado dos vários órgãos participantes, que compartilharão informações mais rapidamente. Os órgãos que participam da iniciativa são: Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Agência Nacional de Inteligência, Ministério da Defesa, Unidade de Inteligência Financeira (o antigo Coaf), Receita Federal, Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica internacional e o Departamento Nacional Penitenciário, entre outros.

Marcel van Hattem, ministro Sergio Moro e Alexis Fonteyne

A expectativa é que, a exemplo dos três centros integrados de Inteligência de Segurança Pública inaugurados nos últimos meses nas regiões Nordeste, Sul e Norte, e do centro nacional em funcionamento desde agosto, o Ciof permita uma maior integração entre os agentes de segurança dos órgãos participantes e forças de policiamento.

“O ministro Moro pretende usar este Centro Integrado em Foz de Iguaçu como modelo para combater o tráfico de drogas e o crime organizado em geral no Brasil. Ficamos muito orgulhosos do que vimos e esperamos que o projeto dê certo para ser levado a outros pontos de fronteira, já que as informações de inteligência são uma grande arma contra a criminalidade”, disse o deputado Marcel após desembarcar em Brasília ao lado de Moro, depois de ter participado da comitiva do ministro ao lado do colega de bancada Alexis Fonteyne (NOVO-SP).

O centro inaugurado hoje ocupará uma área de 600 metros quadrados no Parque Tecnológico de Itaipu, em Foz do Iguaçu. Segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública, funcionará como uma espécie de escritório de comando e controle para as operações ostensivas, integrando agentes dos órgãos e agências participantes. “Não é um centro para servir a Foz do Iguaçu, embora, evidentemente, vai trabalhar e melhorar o contexto de segurança pública e Justiça da cidade, mas servirá à segurança do país inteiro já que, muitas vezes, pessoas mal intencionadas e criminosos utilizam a região para passar drogas e armas para o país inteiro”, ressaltou o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, explicando que o centro integrado de Foz do Iguaçu é um projeto modelo que poderá ser expandido para outras localidades no futuro.

Hoje, em Foz do Iguaçu, Moro explicou que o Ciof é semelhante ao modelo de escritórios norte-americanos de monitoramento e que foi instalado em local estratégico, em razão da Tríplice Fronteira. “É como se houvesse uma força-tarefa permanente, com o objetivo de prevenir e reprimir os crimes de fronteira. Por isso, a localização estratégica em Itaipu.” De acordo com o ministro, a tendência é que esses centros também contem com representantes de países que fazem fronteira com o Brasil: “A tendência, no futuro, é buscarmos também representantes dos países que fazem fronteira para atuarem no centro integrado.”

*Com informações da Agência Brasil

Os comentários estão encerrados.