Deputado Marcel palestra sobre “Liberdade de Imprensa e Responsabilidade”, na Câmara | Marcel van Hattem - Deputado Federal (NOVO-RS)

Nesta terça-feira (21/5), o deputado federal Marcel van Hattem (NOVO-RS) foi um dos painelistas durante a 13º Conferência Legislativa sobre Liberdade de Expressão, realizada no auditório da TV Câmara, na Câmara dos Deputados. Organizado pelo Instituto Palavra Aberta, o evento contou com a representação de entidades apoiadoras como a Associação Nacional de Jornais (ANJ), a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT), a Associação Nacional de Editores de Revistas (ANER) e a Associação Brasileira de Agências de Propaganda (ABAP).

Participando do painel “Liberdade de Imprensa e Responsabilidade” ao lado de Fernando Rodrigues, jornalista responsável pelo site de notícias Poder 360 e do deputado Orlando Silva (PCdoB), o deputado Marcel foi chamado pelo jornalista da GloboNews Gerson Camarotti, mediador do debate, a dar a sua opinião sobre o tema.

Marcel e o jornalista da GloboNews Gerson Camarotti

“É muito difícil saber onde vamos chegar após essa revolução tecnológica, por isso é importante que nos ancoremos nos valores que permitem ao jornalismo a sua existência, a começar pela liberdade, e pela sua sobrevivência, a começar pela responsabilidade. Com esses valores sabemos que, aonde quer que cheguemos, chegaremos com segurança”, disse o deputado Marcel.

>Assista à íntegra da 13º Conferência Legislativa sobre Liberdade de Expressão

Antes, na abertura do evento, representantes de todas as entidades apoiadoras fizeram uso da palavra e mencionaram a importância do trabalho exercido profissionalmente por jornais, emissores de rádio e TV e sites de notícias. Também chamaram a atenção para a concorrência que empresas de tecnologias têm exercido quanto à produção e divulgação de conteúdo jornalístico, o que diminui as receitas dos veículos tradicionais de mídia.

“Nós estamos percebendo como as pessoas estão olhando diferentemente para nós. Uma pesquisa divulgada pelo DataFolha demonstra que a confiança em todas as instituições está caindo muito. No Congresso, nos partidos políticos, no STF, na imprensa. Estamos exaltando aqui a importância de veículos de informação sérios que façam o que o verdadeiro jornalismo exige. Mas não podemos tapar o sol com a peneira. A opinião do povo deve sempre ser levada em conta e precisamos recuperar a responsabilidade, que vai garantir a sobrevivência do jornalismo”, ressaltou o líder do Partido NOVO na Câmara dos Deputados.

Deputado Marcel fala sobre Liberdade de Imprensa e Responsabilidade

Mestre em jornalismo, Marcel descreveu sua trajetória até chegar a ser deputado estadual e depois federal. Ainda adolescente foi entregador de jornais, depois repórter do jornal Dois Irmãos, veículo de mesmo nome da sua cidade originária. Depois de ter sido eleito vereador do município ainda aos 18 anos, acabou optando por estudar Relações Internacionais e Ciência Política, mas nunca deixou para trás a vontade de exercer o jornalismo. Até por isso, optou por fazer um mestrado na área, feito em dois módulos: o primeiro na Universidade de Aarhus, na Dinamarca, e o segundo na Universidade de Amsterdam, na Holanda, concluído em 2017, enquanto exercia mandato como deputado estadual no Rio Grande do Sul.

“O jornalismo, como qualquer outro negócio, não é para gerar lucro. E aqui fala um liberal, que defende que o lucro é consequência de um bom trabalho feito na iniciativa privada. No fundo, qualquer atividade não tem como objetivo primordial o lucro, mas sim atender bem ao seu consumidor, fazer com que o seu produto seja aceito, seja reconhecido, por um preço justo. É isso que vai permitir que a empresa prospere e ganho espaço no mercado”, lembrou.

Fernando Rodrigues, Marcel van Hattem, Gerson Camarotti e Orlando Silva

Por conta disso, Marcel indicou que é preciso checar a qualidade do trabalho que vem sendo entregue ao consumidor. E se perguntou: “Como fazer para passarmos esse mar turbulento, que não temos como prever, de uma forma segura?”. A resposta foi dada pelo próprio Marcel. “Não é difícil discernir o bom do mau jornalismo. Difícil é admitir as nossas próprias fragilidades. Isso também acontece na política. Precisamos reduzir as brigas com os fatos, as redes sociais estão aí para isso. Fake news existem e estão por todos os lados, mas não só nas redes sociais, e precisam ser combatidas onde quer que estejam. Para que o jornalismo chegue em terra firme, precisamos que essa atividade tão nobre para o Estado de Direito e para a democracia seja exercida sempre com liberdade e responsabilidade”, finalizou.